Árvore da vida – Visão terapêutica aplicadas tatuagem como forma de ressignificar a vida.

Meu objetivo principal com a apresentar desse símbolo é trazer conteúdos exclusivos dos meus estudos com base na minha experiência, e visão terapêutica holística na tatuagem. Trazendo um diferencial no meu trabalho como tatuadora e terapeuta energética e auxiliando vocês pela busca de auto conhecimento e resultados tranformadores na vida.

O símbolo da árvore da vida é um símbolo sagrado , popular e universal que representa várias coisas diferentes em várias culturas e religiões. Sendo assim não pertence a uma cultura específica, pois é usado em todo o mundo há séculos.  

É muito comum pessoas retratarem esse símbolo sagrado, seja em paredes, quadros ou até mesmo na pele, em forma de tatuagem. Seus significado perpassa pela fecundidade e imortalidade.

Vou apresentar sobre seus diversos significados para contextualizar los, e as mudanças históricas ao longo dos anos. É um simbologia que continua encantando e despertando curiosidade nas pessoas e trazendo o que mais faz sentido seja na tatuagem, na arte como adorno e venho apresentar meus trabalho com minha visão terapêutica e quântica aplicadas na tatuagem e na arte alinhadas com meu objetivo principal, que é trazer transformações a nível inconsciente propostos na terapia mas na tatuagem também.

Qual o significado da árvore da vida?

Simbolismo – Desenho autoral por Millene Ishihara

Todos temos essa ciência que a nossa vida existe devido aos nossos antepassados, sem a existências deles não seria possível existirmos nesse momento, então ela traz essa conexão familiar e dos ancestrais.

A Árvore da Vida tem uma intrincada rede de ramos que representa como uma família cresce e se expande por muitas gerações. Simboliza também a fertilidade, pois encontra sempre uma forma de continuar a crescer, através das sementes ou novas mudas, e é viçosa e verde, o que significa a sua vitalidade. E já ouvimos muito falar em árvore genealógica.

O símbolo também cita a questão da unicidade através das raizes na terra, como uma forma de interconectar o universo, simbolizando a união. E seus ramos alcançam o céu, aceitando a energia do sol da lua. Trazendo o lembrete que não estamos sozinhos ou isolado e a ideia de pertencimento.

Toda arvore é única e exclusiva através de suas características próprias, formas, elas se adequam ao solo, crescem e criam forcas similar a um ser humano, e em seu desenvolvimento pessoal se tornam cada vez mais originais trazendo a metáfora de como as pessoas crescem ao longo da vida, com a base de raizes fortes oferecendo como estrutura e alcançar o céu.

A natureza da arvore e renascer através de suas sementes que carregam sua essência trazendo a imortalidade pois elas ela continuam a viver por meio de novas mudas e aceitação dos ciclos da natureza na qual tem o tempo certo de perder folhas ou nascer os botões.

História

Como um símbolo, a Árvore da Vida remonta aos tempos antigos. O exemplo mais antigo conhecido foi encontrado nas escavações de Domuztepe na Turquia, que datam de cerca de 7.000 aC. Acredita-se que o símbolo se espalhou a partir daí de várias maneiras.  

Uma representação semelhante da árvore foi descoberta nos Acadians, que remonta a 3000 AC. Os símbolos representavam um pinheiro e, como os pinheiros não morrem, e a representativa da pinha é uma expansão da consciência acredita-se que os símbolos sejam as primeiras representações da Árvore da Vida.  

Fonte: Dan Fefferman

A árvore da vida é uma representação presente em várias culturas e religiões pelo mundo. Apesar de a origem deste símbolo ser desconhecida, existem muitas teorias sobre o assunto.

Múltiplas culturas possuem diferentes mitologias envolvendo a Árvore da Vida. Referências ao símbolo  foram encontradas no Antigo Egito, no Antigo Irã, na Antiga Mesopotâmia e em Urartu, e em muitos outros lugares. O símbolo foi amplamente reconhecido e usado em culturas antigas, por isso é difícil identificar suas origens exatas e como ele se espalhou pelo mundo. 

Influências em diversas culturas 

Cristianismo –  A Árvore da Vida é mencionada na Bíblia no Livro do Gênesis. É a árvore em uma posição central que cresce dentro do Jardim do Éden, citados junto com Adão e Eva que eram proibidos de alcançar a árvore da vida. 

Existem vários significados por trás do símbolo da Árvore da Vida no Cristianismo. Alguns acreditam que é o símbolo da humanidade livre de corrupção e pecado, salvação da humanidade, representatividade do amor e até mesmo que seus frutos possuem propriedades curativas , imortalidade ou experimentar várias grandezas. Por isso ela fica tão protegida no Jardim do Éden pelos anjos e querubins.

Budismo –  No budismo, a Árvore da Vida é associada como a árvore Bhodi e acredita-se que seja a Árvore da Iluminação. Foi sob esta árvore que Buda alcançou a iluminação, por isso é visto como um símbolo muito sagrado.  

Crenças celtas –  Eles acreditam que são sagradas onde as raízes representam o ‘outro mundo’, o tronco representa o mundo mortal e conecta as raízes e os ramos, que representam o mundo acima, ou os céus. É um símbolo também de proteção, da astrologia celta , diversidade e principalmente entre os Druidas que são monges inspirados na magia das árvores dos bosques e ajudam outras pessoas a entrarem em harmonia com a vida.

Egito – Os antigos egípcios tinham a crença de que, depois do Faraó morrer, havia uma árvore da vida da qual teria de comer para se sustentar no domínio do seu pai, .

Islã –  É conhecida como a Árvore da Imortalidade no Alcorão. Ele apareceu no Éden e é a árvore da qual Adão e Eva comeram depois que Allah os proibiu de fazê-lo.     

Fonte: Urek Meniashvili

Judaísmo –  No Judaísmo, a Árvore da Vida é o que sustenta e nutre a vida. Fica no centro de um fértil jardim plantado por Yahweh. 

Mesopotanea – Da árvore da vida dos Mesopotâmios é que derivam outras representações deste símbolo sagrado. Um deles é a árvore da vida cabalística, formada por uma palma ou ramo, símbolo judaico. Para a Cabala, a árvore da vida é produto das emanações de Ain Soph. E seu significado é amplo e detalhado.

Cada povo possui uma forma peculiar de representar a árvore da vida. No Brasil, por exemplo, o símbolo é comumente encontrado em desenhos artísticos e tatuagens. As pessoas abraçam o caráter sagrado da figura, eternizando sua mensagem.

Visão terapêutica.

Tendo conhecimento dos significados, história e simbologias o que venho apresentar venho apresentar estudos terapêuticos e ganhos ao se conectar com essa imagem e uma vivência de meditação para os meus clientes/pacientes.

Conforma a terapia sistêmica que segue as Ordens do Amor. Quando o sistema familiar segue essas ordens, a vida flui. Se há desordem, os descendentes ficam emaranhados nos destinos dos antepassados, repetindo padrões, aprendizados inconscientemente gerando desequilíbrio ou até mesmo doenças pela necessidade de Pertencimento, Dar e receber amor, Hierarquia que são as ordens do Amor na constelação familiar criada por Bert Hellinger devido ao campo mórfico ou campo morfogenético, e os método das da fenomenologia, que também é o embasamento de Jung nas questões de arquetípicas e no thetahealing com a física quântica.

Hellinger (2006) entende que a família atual é espelho da família de origem. Esse é um pensamento sistêmico, tudo está interligado e, portanto, possuímos uma pseudoliberdade, pois existe um vínculo muito forte e leal que leva a repetição de padrões e conexões (GONÇALVES, 2009).

Assim, quando nos esquivamos do que é pesado, pecaminoso ou agressivo, perdemos justamente o que queríamos conservar: nossa vida, nossa dignidade, nossa liberdade, nossa grandeza. Somente aquele que se defronta com as forças obscuras, e as aceita, permanece em contato com as próprias raízes e com as fontes de sua força. Tais pessoas não são simplesmente boas ou más, estão em sintonia com algo maior, com sua profundidade e força. (HELLINGER, 2006, p.30).

Distanciando-se dessa postura buscamos a harmonização e procuramos dar lugar a tudo e a todos. Harmonizar os vínculos significa encontrar onde está o “nó” nas famílias, nas organizações, nas relações, nos acontecimentos, nos sintomas, etc. e possibilitar que a conexão se ajuste e flua.

Por mais paradoxal que seja, as vezes esse processo resulta no acolhimento, outras no deixar ir, libertar e ser livre e tudo isso é sempre amor. Isto é observado em qualquer terapia, pois elas mostram que os comportamentos, mesmo que disfuncionais, são movidos pelo e para o amor.

Visão Terapêutica – Desenho Autoral por Millene Ishihara

Exercícios de conexão através da meditação

Tendo conhecimento desse lado terapêutico, estudos de especialistas e teorias que embasam sempre padrões prejudiciais então trago alguns exercícios de conexão através da meditação com o arquétipo da árvore da vida para que possa trazer maior fluidez e equilíbrio através desse reconhecimento ancestral.

Meu nome é Millene Ishihara Tatuadora e terapeuta quântica que estuda símbolos e significados como amuletos ha mais de 10 anos e hoje com a visão terapêutica e como ferramenta de auto conhecimento que venho agregando nos meus atendimentos para trazer tranformacoes na vida a nível inconscientena tatuagem e na terapia.

“Da mesma maneira que o corpo necessita do alimento, não qualquer tipo de alimento mas aquele que o nutri, a psique necessita conhecer o sentido de sua existência. Não um sentido qualquer, mas o significado das imagens e ideias que refletem a sua natureza e que se originam no inconsciente.” C.G.Jung

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s